23 de maio de 2016
O impasse do Design Mobiliário de Lina Bo Bardi: 1959 – 1992

094ARQf1192SESC - area de convivencia, sem autoria113

“A grande tentativa de fazer do Desenho Industrial a força regeneradora de toda a sociedade faliu”. Com essa afirmação, explica o curador Renato Anelli, Lina sinalizava o impasse do design contemporâneo a partir da década de 1960.

“As formas geométricas abstratas do design moderno haviam perdido seu significado transformador original, tonando-se simples produtos de consumo descartável. A partir de então Lina deixou de projetar para a produção em série industrial, passando a desenvolver mobiliário com técnicas e materiais simples, vinculado a seus projetos arquitetônicos”, completa Anelli.

A exposição “O Impasse do Design: Mobiliário de Lina Bo Bardi: 1959 - 1992 reúne na Casa de Vidro, de 28 de maio a 31 de julho de 2016, cerca de 13 peças originais do mobiliário  produzido pela arquiteta, com ênfase nas peças para o Masp, o Museu de Arte Moderna da Bahia e o Sesc Pompeia.

A Exposição reúne ainda fotografias, desenhos e documentos pertencentes ao acervo do Instituto Bardi, que apresentam as transformações de concepção do design da arquiteta a partir de primeiro período em que viveu em Salvador (1959 -1964), realizando estudos sobre a cultura popular local, reunidos no livro Tempos de Grossura, o Design no Impasse.

Como diretora do Museu de Arte Moderna da Bahia, Lina concebeu um centro de formação em técnicas artesanais e desenho industrial baseado nas pesquisas etnográficas desenvolvidas nos sertões da Bahia, Pernambuco e Ceará, que culminariam na exposição Nordeste (1963). “Deveria surgir ali um novo design, autenticamente enraizado na capacidade das pessoas simples em produzir utensílios com o mínimo de recursos”, observa o curador.

Anelli destaca que muito antes das atuais concepções ambientais de reciclagem e reuso de lixo, Lina estudou os objetos feitos com descartes para uso cotidiano. Funis, lâmpadas e latas eram transformados em castiçais, lamparinas, pás, bacias e outros utensílios, revelando uma inteligência para a sobrevivência na pobreza.

Para Lina seria possível construir, a partir dessa base, um programa de renovação da arquitetura e do design, distantes dos ditames do consumo e do supérfluo. Posição que orientou sua produção de arquitetura e de mobiliário nessa fase madura da sua carreira.

Foi sobre a produção embasada nesse programa que a curadoria definiu as obras selecionadas para esta exposição na Casa de Vidro. “Desenhos de concepção revelam  o desenvolvimento dos móveis dessa fase de Lina, dos primeiros croquis até os protótipos, com destaque para os estudos de inserção do mobiliário no ambiente arquitetônico, resultado de sua experiência com cenografia. Fotos e depoimentos complementam a linha narrativa da exposição.

A exposição ‘O Impasse do Design: Mobiliário de Lina Bo Bardi: 1959 – 1992’, que conta com benefício da Lei Rouanet, apoio do Ministério da Cultura e patrocínio do Itaú Cultural e Petrobras, complementa a mostra Tempos Pioneiros, realizada em 2014, também na Casa de Vidro, com curadoria de Sergio Campos que reuniu a primeira fase de produção de móveis da arquiteta no Brasil.

Instituto Bardi

O Instituto Lina Bo e P.M. Bardi, foi criado por P. M. Bardi e Lina Bo Bardi em 1990, com o objetivo de promover o estudo e a pesquisa em especial nas áreas de arquitetura, design, urbanismo e arte popular brasileira.

Lina Bo e seu marido Pietro Maria Bardi foram responsáveis por intervenções relevantes no cenário cultural Brasileiro. Pietro foi co-fundador do  MASP, responsável pelas aquisições do acervo e o projeto de um museu vivo, investindo na profissionalização da cultura no país.  A arquiteta Lina atuou em diferentes áreas como design, educação, cinema, moda, meio ambiente.

A Casa de Vidro, primeira obra construída da arquiteta italiana naturalizada brasileira e residência do casal Bardi por mais de 40 anos, tornou-se um ícone da arquitetura moderna e representa de forma atemporal o pensamento e modo de vida do casal: simples, engajado, recheado de diversidade, possibilidades e beleza.

Projetada em 1950, a Casa de Vidro foi tombada como patrimônio histórico  pelo o CONPRESP, CONDEPHAAT e em finalização de tombamento pelo IPHAN, hoje abriga a sede do instituto e o acervo do casal Bardi.

 

Serviço

Exposição: O Impasse do Design: Mobiliário de Lina Bo Bardi: 1959 - 1992

Abertura : 28 /05 às 11h às 15h para convidados

Visitação: De 29 de maio a 31 de julho

Quinta a domingo das 10h às 16h (com permanência até ás 16h30)

Casa de Vidro

Rua General Almério de Moura 200 – Morumbi

Informações:  educativo@institutobardi.com.br

 

 

 

 

 

 

 

 


Contato

Visite a Casa de Vidro

Informações:
info@institutobardi.org

Sugestões:
ouvidoria@institutobardi.org

Rua General Almério de Moura, 200
05690-080 - São Paulo / SP - Brasil

Créditos

Os textos, imagens fotográficas, desenhos, vídeos e todo o material veiculado neste website são protegidos pela Lei dos Direitos Autorais.

O Instituto Lina Bo e P. M. Bardi é proprietário dos direitos relacionados ao nome, imagem, voz, assinatura e representações visuais de Lina Bo Bardi e Pietro Maria Bardi e dos direitos autorais sobre suas respectivas obras.

A reprodução de textos, desenhos e outras obras intelectuais de autoria de Lina Bo Bardi e P. M. Bardi sujeitam-se à prévia e expressa autorização do Instituto Lina Bo e P. M. Bardi podendo ser solicitada via e-mail. info@institutobardi.org

Incentivo a cultura 2015/2016


Mantenedor 2015/2016


Mantenedor 2015


Projeto Acervo Bardi 2015/2016


Projetos 2012/2013 patrocínio


Apoio